quinta-feira, 28 de abril de 2011

Traumas de infância


Uma grande dificuldade que encontro é achar palavras para descrever minha infância, pois existem momentos dos quais não gosto de lembrar; posso dizer que parte dela foi perdida.  Ao contrário de muitas pessoas, meu desejo era ter minha família unida, acordar pela manhã e ouvir meu pai dizendo: “Te amo”, e minha mãe me dando um beijo de bom dia. Confesso que tinha inveja dos meus colegas, ficando a me perguntar: Por que só eles podem ter seu pai e sua mãe por perto? Por que minha mãe não vem à reunião de pais? Por que não posso dar um presente de Dia dos Pais pro meu pai?
Eram muitas interrogações em minha mente infantil, pois não compreendia o porquê de tantas coisas acontecendo comigo. Lembro-me do dia em que meu pai foi embora e deixou minha mãe chorando...  
Minha mãe era muito dedicada ao trabalho, pois desejava me dar do bom e do melhor, por isso, grande parte da minha infância passei na casa de babás. Numa delas, por diversas vezes, presenciei agressões físicas entre a babá e o seu marido, que chegava bêbado todos os dias.
Recordo-me de um dia em que minha mãe chegou super cansada do serviço e, como de costume, foi à casa da babá me buscar, porém, não conseguiu, pois o marido dela estava agredindo-a de tal forma que, ao ver o sangue, não hesitei e comecei a chorar. Não aguentava mais aquela cena. Eu tinha apenas 5 anos de idade.  De todas as formas tentava provar pra minha mãe que poderia ficar sozinha e que não necessitava dos cuidados de ninguém.
É difícil relatar os momentos sujos da minha vida, pois existem partes da minha história de que sinto nojo apenas de lembrar. De tanto frequentar a casa de uma das minhas babás acabei de me tornando vítima de pedofilia. Cresci com complexo de inferioridade, me sentindo culpada por tudo que havia ocorrido, pois não tinha ninguém para contar. Tinha medo de falar pras pessoas, vergonha do que elas iriam pensar de mim, me sentia excluída de todos, na escola meus colegas se juntavam pra fazer piadinhas contra mim.
Passei anos da minha vida carregando uma culpa que não era minha, mas tentava levar a vida como podia, sem contar para ninguém. Minha mãe se mudou para outra cidade, não iria encontrar mais com a pessoa, talvez pudesse esquecer!  Fiquei por um tempo em outro município, mas, com o derrame da minha avó, tive que voltar para a minha cidade. Passaram-se 2 anos, quando, aos 15 anos, voltei a encontrar o pedófilo, pois ele passou a frequentar demais a minha casa. Entrei em desespero. Sem ninguém da minha família notar, comecei a entrar em  depressão, pois me lembrava com frequência do que havia acontecido. Tinha medo.
Foi quando encontrei amigos de verdade no Força Jovem Brasil, em quem finalmente confiei e contei o que se passava em minha vida. A partir de então, esse grupo de jovens passou a me acompanhar e a me dar as orientações necessárias e a ajuda que eu estava precisando. Me senti acolhida, pois finalmente alguém estava dando a atenção de que eu precisava.  
Minha mudança não foi da noite para o dia, passei por um processo, pois precisava vencer os meus traumas do passado. Enfrentei tudo sem o conhecimento da minha família. No Força Jovem consegui enxergar o verdadeiro sentido da vida e descobri que para mim havia solução. Demorou, mas só consegui me ver livre do passado quando encontrei forças para falar para a minha família o que havia ocorrido. Meu pai ficou revoltado, pois ao mesmo tempo em que ele queria justiça, se sentia culpado por não estar por perto.
Aprendi a perdoar. Sei que um caso desses merece justiça, mas, no meu caso, não queria voltar ao passado, pois sei o quanto foi difícil pra mim, era como se eu estivesse desenterrando algo que já está morto. Não vivo pela sombra do meu passado.
De tudo que passei na vida, Deus me ensinou a olhar sempre para a frente. E buscar a água da vida, como dizem as Escrituras Sagradas:Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.”  (João 4:14)

Essa história tem continuação. Aguardem a próxima postagem.

Clique aqui para ler a II parte do testemunho
O que achou?

13 comentários :

  1. Infância... hoje em dia são poucas crianças que tem,por falta de estrutura da parte da familia,país que acaba se separando e quem leva a culpa desse erro acaba sendo os filhos...só tendo DEUS mesmo para que esses traumas não venha prejudicar o seu futuro...FORÇA JOVEM também me ajudou a superar perdas como minha mãe a falta dela.

    ResponderExcluir
  2. Nossa ... Muito comovente ha sua historia!!!

    ResponderExcluir
  3. noosa teenso meesmo , feelicidadees aa vooce!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito Lindo. Me Pediram Para Ler. Sou Muito Preguissosa Para Ler. Mas Nunca Tive Vontade De Lr Como Eu Tive Par Ler a Sua Historia'' By: Karen Lopez

    ResponderExcluir
  5. Ameei .. Muitoo interesante sua vida!! eu moro perto deessa igreja.. nunca pensei qi tivesse pessoas deses tipos ai.mas eu acredito em deus sim.. Seja muito feliz Karen sz Bruna Ameiga da Breenda ..

    ResponderExcluir
  6. Juraci do Rozario30 de abril de 2011 12:51

    Oi filha eu nunca fui o pai que vc gostaria de ter mas nuca me afastei de vc sempre te ajudei no que eu pode te dar sei que foi poco hj vc me trata como se eu foce inimigo seu sempre foi asim vc sempre me rejeito pelo que aconteu no passado...E nem sabia nada sobre o fato de vc ter sido vitima de pedofelia vc nunca falo nada p mim e nem p sua mãe eu fquei sabendo do que tinha acotecido com vc na sua infancia em novebro de 2009 pq vc me contou. Quanto ao fato de eu ter abandonado sua mãe foi porque na quela ocazião eu era muito infantil não queria saber trabalha só correndo atrás de rodeios ficava muito fora de casa vc msm sabe disso e sua mãe merecia um homem de verdade porque eu era tinha a mente de molegue só pensava em fará e curtição foi isso nen tanto que sua mãe arrumo um homem de verdade que esta com ela até hoje e hoje sua mãe me odeia eu não posso nem ir la para te ver tenho que ligar para vc e nos encontrar em outro local onde ela não me ve mas apesar de tudo isso filha eu te amo e se alguma vez que estou olyne no msn e vc me chama eu não te dou atenção é porque eu não aceito a maneira que vc me trata como se eu foce culpado por tudo que aconteceu no passado e vc tivece me culpando por não estar presente na sua infancia e na adolescecia... mas quero que vc fique sabendo que vou te ajudar no que eu poder e que eu te amo muito sinto muito a falta do seu abraço e do seu carinho de filha fica na paz de DEUS....bjosss

    ResponderExcluir
  7. parabens pela historia !! muitos passam por isso e temos q enfrentar esses traumas !!fugir nao e a soluçao !!parabens KAREN mais uma vez !!#adorei

    ResponderExcluir
  8. Nossa Karen parabéns pela pessoa que vc é, exitem tantas pessoas que reclamam da vida mais vc e diferente luta pelo que uqer acredita em seus sonhos é uma pessoa abençoada por Deus tenho certeza que seus sonhos vão se realizar.Continue essa garota de bom coração e que gosta de ajudar próximo.

    Boa sorte na sua jornada que será longa porém muito abençoada

    Bjooos

    Day

    ResponderExcluir
  9. Bacana! O seu testemunho servirá pra ajudar bastante gente! :D

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns!
    Parabéns por escrever bem, por superar fatos tristes da sua vida... É difícil, não será fácil esquecer, mas se você está escrevendo já é uma prova de superação e o exemplo de que Deus está contigo.
    Felicidades.
    Abs.

    ResponderExcluir
  12. Oi Karen.. Muito triste a sua história!!! Porém é LINDO o poder que Deus tem para mudar as nossas vidas e nos ajudar a superar os traumas do passado!!! Desejo a você um futuro bom, que você se forme e seja uma profissional reconhecida pelo seu trabalho... Desejo também um bom esposo, que te ame e cuide do seu coração, pois ninguém nasceu pra ser sozinho e infeliz!!! Fique com Deus e na fé em Cristo!!! Beijos flor!!!!

    ResponderExcluir
  13. muito forte, tenha certeza seu testemunho ajudara muitos jovens e adolescentes que passaram e passam por esta situação.

    ResponderExcluir

Gostou do post? Comente. Ficarei muito feliz em saber sua opinião sobre essa postagem que preparei com muito carinho.