segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Uma lagarta



Passa grande parte de sua vida no chão, olhando os pássaros, indignada com seu destino e com sua forma.
"Sou a mais desprezível das criaturas", pensa. "Feia, repulsiva, condenada a rastejar pela terra."
Um dia, entretanto, a Natureza pede que faça um casulo.
A lagarta se assusta - jamais fizera um casulo antes.
Pensa que está construindo seu túmulo, e prepara-se para morrer.
Embora indignada com a vida que levou até então, reclama novamente com Deus.
"Quando finalmente me acostumei, o Senhor me tira o pouco que tenho."
Desesperada, tranca-se no casulo e aguarda o fim.
Alguns dias depois, vê-se transformada numa linda borboleta.
Pode passear pelos céus, e ser admirada pelos homens.
Surpreende-se com o sentido da vida e com os desígnios de Deus.

CONCLUSÃO:
A fé é a certeza das coisas que esperamos, não das coisas que sentimos.
É a convicção dos fatos que não vemos.
A fé ri das impossibilidades.
O que a lagarta chama de fim do mundo, o mestre chama de borboleta.
"A alma é uma borboleta... Há um instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande metamorfose..." (Rubem Alves)

O Servo que realmente é de Deus não olha para os problemas ou sua condição. Ele luta até vencer. Com tranqüilidade e mansidão, sabe vencer através da oração e da fé. Mas, quando a pessoa; permite ser levada pelas emoções, abandona a fé e se comporta apenas de acordo com o que sente, ou seja, é tomada de emoção e conseqüentemente irá naufragar juntamente com seus projetos!!!
O que achou?

0 comentários :

Postar um comentário

Gostou do post? Comente. Ficarei muito feliz em saber sua opinião sobre essa postagem que preparei com muito carinho.